Alimentos cozidos no microondas fazem mal à saúde?

Já faz algum tempo que estou querendo escrever a minha opinião sobre os tão falados efeitos do microondas sobre a comida. É muito comum as pessoas falarem que o microondas estraga a comida, que acaba com os nutrientes, que causa a formação de compostos que causam câncer, etc. etc., mas nunca ninguém sabe explicar o porquê disso. Sempre me pareceu uma coisa meio esotérica. Tipo assim “no creo en las brujas, pero que las hay las hay.”.

Resolvi então pesquisar. Quem me conhece sabe bem que eu sou cientista e gosto de ter algum conhecimento de causa antes de declarar a minha opinião sobre qualquer assunto. Minhas bases de pesquisa são o Web of Science e o Scifinder Scholar e, através delas, busco artigos sobre os assuntos que me interessam. Assim posso dar uma olhada geral em TUDO o que foi publicado, ao invés de ver apenas uma opinião, que é o que rola na maioria dos textos que a gente encontra na internet. Um tipo de exemplo do que costuma rolar na internet é: o cara pega um artigo de 1960 no qual o pesquisador fez um estudo de que a substância x poderia ter um potencial de causar câncer quando administrado em ratos na proporção de 100g/kg de massa corpórea e diz que isso é a prova cabal de que a substância x é cancerígena. Pronto, todo mundo fica aterrorizado e para de consumir tudo aquilo que contenha a substância x. Só que ninguém para pra pensar que 1- depois de 1960 muitos e muitos artigos devem ter sido publicados no assunto; 2- nessa concentração até alface é capaz de matar um rato; 3- pode ser que esse pesquisador tenha feito um estudo mal feito e que alguém já o tenha refeito e publicado novos resultados. O que eu quero dizer com isso é: uma andorinha só não faz verão, e apenas um artigo não é prova de nada.

Voltando ao assunto: fui atrás de alguma evidência de que o microondas altera os alimentos de forma prejudicial. Não vou aqui ficar explicando o funcionamento do microondas , mas resumindo muito rapidamente, as ondas eletromagnéticas geradas pelo forno agitam as moléculas de água e de gordura e essa agitação faz com que haja liberação de calor, o que aquece a comida. Bem, só para parar com o mistério, descobri que não há na literatura científica NADA que comprove algum efeito maléfico qualquer do microondas sobre os alimentos. E não venham me falar em teoria da conspiração, de que os estudos foram feitos mas proibidos de serem publicados, essas coisas. Quando um cientista descobre alguma coisa e consegue evidências que comprovem as suas idéias, ele as publica. Nem que seja em uma revistinha vagabunda, mas publica. Vejam por exemplo a questão do aspartame: existem muitos artigos que evidenciam o seu potencial carcinogênico – e eles estão publicados em revistas boas. Existem também alguns artigos que desmentem tudo isso, que dizem que o aspartame é bonzinho – mas aí é só olhar os autores: fulano e ciclano da Nutrasweet. Precisa dizer mais alguma coisa?

Voltando ao microondas, eu realmente não achei nada. E olha que procurei exaustivamente, com várias palavras-chaves diferentes. Tudo o que eu achei foi, em geral, evidências de que cozinhar no microondas preserva alguns nutrientes que costumam ser perdidos quando se faz cozimento convencional, principalmente em relação a legumes. Agora, se você quiser procurar no Google, vai encontrar uma enxurrada de textos sem referência alguma (ou com uma ou duas referências de 1970 e pouco) falando que o microondas é um eletrodoméstico do mal que foi inventado pelos nazistas. Todos eles citam um tal de Dr. Hertel, de quem não encontrei nenhuma evidência de que realmente tenha existido. Pelo menos ele nunca publicou nenhum texto científico (bem, dizem que ele foi proibido de falar qualquer coisa contra o microondas em 1992).

Vejam só um exemplo das bobagens que dizem nesses artigos: “(…) the disruption of the water molecules is so intense that they are literally torn apart and become structurally deformed. Chemists even have a name for this phenomenon: structural “isomerism.”. Ora, como que uma molécula de água (H2O), que tem apenas 3 átomos, pode ser “deformada estruturalmente”? Além disso, “isomeria” é um termo usado em geral para compostos orgânicos, com vários átomos de carbono. Segundo a Wikipedia isomeria é o fenômeno caracterizado pela existência de duas ou mais substâncias que apresentam fórmulas moleculares idênticas, mas que diferem em suas fórmulas estruturais. Por exemplo: Etanol e Éter dimetílico possuem a mesma fórmula (C2H6O). O que seria um isômero da água??? Trocando em miúdos, besteira pura. Termos complicados usados para fazer terrorismo. E isso é só um pequeno exemplo. Com um pouco mais de tempo eu acharia um milhão deles.

Algumas poucas coisas nesses artigos de internet fazem sentido. Por exemplo: bancos de sangue esquentaram sangue no microondas e as pessoas que o receberam morreram. Bem, que idéia esquentar sangue no microondas!! A agitação das moléculas de água e de gordura faz com que células se rompam e, lógico, “estraga” o sangue. Inclusive se usa forno de microondas para matar bactérias e fungos, usando esse mesmo princípio. É um fenômeno que não tem nada assim de tão esotérico.

Pode parecer que estou aqui incentivando o uso do forno de microondas, mas a idéia desse texto não é essa nem de longe. O que eu quis foi apenas mostrar que esses terrorismos de internet podem ser infundados. Acho sim que os cientistas devem fazer muita pesquisa nessa área e que eles devem sim procurar saber se pode haver alguma alteração maléfica nos alimentos por causa da radiação com microondas (opinião pessoal: duvido que haja) e, principalmente, publicar esses dados. Até agora bastante coisa foi feita, principalmente em relação ao leite, mas não existe nenhuma evidência de formação de coisas estranhas quando se aquece qualquer alimento no microondas. Outra coisa: todo mundo come alimentos irradiados com raios gama (radiação nuclear!) e nem fica sabendo. Sabe os figos? São irradiados. Por que ninguém fala nisso?

Acho que esse post foi só para passar a seguinte mensagem: não acredite (e principalmente, não espalhe) em tudo que se fala por aí antes de fazer uma pesquisa séria a respeito. Se você realmente quiser sair por aí falando que algo faz mal, leia tudo a respeito e principalmente, entenda o que está lendo. Se não quiser ter todo esse trabalho então, por favor, não espalhe o terrorismo!

About these ads


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: